Rss
0

Daniel: O livro apocalíptico do Antigo Testamento

Por Joás Silva

Quando se fala no profeta  Daniel, ou até mesmo no seu livro, vem logo na cabeça da maioria das pessoas o fato de ele ter sido jogado na cova dos leões e por meio de ação divina ter sido salvo. Muito mais do que isso, o livro é um dos mais importantes do Antigo Testamento, por que é um dos primeiros a falar sobre o futuro  do mundo, mais especificamente o de Israel. Nele se encontra a primeira referência ao Anticristo, e ao Arcanjo Miguel. Cercado de mistério, muitos teólogos “batem cabeça” para decodificar várias datas citadas nos escritos. Daniel, vivia em Israel seus principais amigos eram Hananias, Misael e Azarias ou Sadraque, Mesaque e Abede-nego, que é a tradução dos seus nomes para a língua babilônica. Ele ainda jovem, junto com seus amigos foram exilados na babilônia para servir o rei Nabucodonosor na corte. O rei babilônico por sua vez, ordenou que os jovens que servissem no palácio teriam que ser bem cuidados e ter conhecimentos sobre os antigos documentos do reino, e assim aconteceu com Daniel e seus amigos. A babilônia, no tempo do profeta chegou a ser o maior império do mundo e seu rei, o homem mais poderoso. O reino era vasto e grande, isso despertou muito a preocupação dos seus lideres, por meio desse fato Deus deu a Daniel o privilégio de ter dons e visões.

Houve uma época em que o capitulo 05 do livro, despertou controvérsias entre os céticos e  cristãos. Na passagem fala-se que o rei Belsazar da babilônia, neto de Nabucodonosor, deu um grande banquete. Nessse banquete uma mão misteriosa escreveu na parede palavras secretas. Como nenhum sábio ou astrólogo soube interpretar, chamaram Daniel para interpretar, e ele interpretou. O conflito tem como base a veracidade do episodio, já que o único registro histórico que menciona o rei Belsazar é o capitulo 05 do livro. Com isso ocorreram muitas discussões, ela teve fim até acharem tabletes de argilas, que eram consideradas cartas. Nelas Nabonido, filho de Nabucodonosor, falava ao seu filho Belsazar como estava na Arábia, citando o nome do mesmo. Há também provas no próprio capítulo, “Então mandou Belsazar que vestissem a Daniel de púrpura, e que lhe pusessem uma cadeia de ouro ao pescoço, e proclamassem a respeito dele que havia de ser o terceiro no governo do seu reino.” 
Daniel 5:29.
 


Com isso conclui-se que Nabonido é o primeiro, Belsazar é o segundo e Daniel o terceiro.
       
Ninguém pode questionar se o livro é verdadeiro ou não, já que, todas as coisas levam para o futuro, em que os manuscritos revelam. Um exemplo é a profecia dos 4 reinos que viriam,(ver capítulo 2) e isso se cumpriu, Babilônia, Medo-Persa, Grécia e Roma, só falta o quinto que é o do Anticristo, mas esse não está longe de se cumprir. 
          
 A Bíblia alerta e na natureza se cumpre. Assim será igual aos tempos de Noé, em que todos bebiam e comiam até que veio o dilúvio e os destruíram. 
        
O fato é que o livro é mais do que histórias impressionantes, e acontecimentos fantásticos, ele tem como alvo principal descrever como será nos últimos tempos em que já vivemos hoje. Apesar do livro tendo sido escrito há 2500 anos atrás, ele revela um contexto bem atual, que se enquadra nos dias de hoje, pelo belo exemplo do profeta e a sua fidelidade em tempos difíceis. Mesmo cheio de vários enigmas que só vão ser descobertos na eternidade, devemos cumprir o que Deus por meio de Daniel quis passar para nós, que são as qualidades que um cristão deve ter (Fidelidade, amor, interesse por Deus, perseverança, compaixão e etc)

             
 Então como cristãos, devemos seguir os belos exemplos que a Bíblia nos mostra, para aperfeiçoarmos nossa vida espiritual!

0 comentários:

Postar um comentário